quinta-feira, 2 de abril de 2009

ATIVIDADES DE HISTÓRIA DE MATO GROSSO - FRONTEIRA NO SÉCULO XVIII

FRONTEIRA NO SÉCULO XVIII

01. (UNEMAT) As questões em torno do estabelecimento de limites fronteiriços nas terras da América entre espanhóis e portugueses precederam a própria colonização e se estenderam durante o período colonial. Especificamente com relação às terras mato-grossenses, uma série de medidas foram tomadas no sentido de garantir o controle sobre as regiões limítrofes. Sobre o tema, assinale a alternativa incorreta.
a. Uma das formas de incrementar o povoamento na região mato-grossense era incentivar os colonos com redução de impostos e doação de patentes e também de cargos.
b. A construção de fortificações como o de Nossa Senhora da Conceição, em 1754, e do Presídio de Nova Coimbra, em 1775, visava entre outros objetivos resguardar áreas ocupadas pelos colonos.
c. A partir de 1750, a Coroa portuguesa determinou que todos os negros africanos escravizados, interessados em povoar terras mato-grossenses, seriam imediatamente alforriados.
d. A criação da Capitania de Mato Grosso, em 1748, tinha como um dos objetivos garantir as regiões já conquistadas e povoadas pelos colonos, para conter a ameaça dos espanhóis.
e. A consolidação das fronteiras em Mato Grosso deu-se durante a gestão de Luís de Albuquerque de Melo Pereira e Cáceres, 4º governador da Capitania.

02. (UnB/CESP) A criação da Capitania de Mato Grosso, em meados do século XVIII, atendeu, entre outras razões, a um importante objetivo estratégico da metrópole portuguesa, que era o de
A) garantir a continuidade da mineração, que vivia seu apogeu naquele momento.
B) estabelecer um núcleo do governo colonial em extensa área de fronteira que seria ocupada para se deter eventual avanço espanhol.
C) fixar o domínio português sobre uma região fronteiriça que, pelo Tratado de Madri, não mais pertencia a Portugal.
D) assegurar que os indígenas de Mato Grosso ficariam restritos aos aldeamentos fundados e dirigidos pelos jesuítas espanhóis.

03. (UNIR) A criação da Capitania de Mato Grosso e Cuiabá, em 1748, era parte da estratégia de Portugal diante das ameaças permanentes de disputas fronteiriças com a Espanha. A fundação de Vila Bela da Santíssima Trindade, em 1752, foi uma das muitas conseqüências deste processo de colonização do vale do Guaporé. Sobre o assunto, assinale a afirmativa correta.
A) A rota fluvial de Belém do Pará até Vila Bela era percorrida sem maiores perigos, estando disponível à navegação comercial e militar ao longo de todo o ano.
B) A mineração aurífera ocupou um lugar subalterno neste contexto diante da premência do abastecimento de produtos agrícolas e da pecuária, cujos excedentes eram enviados para Belém do Pará.
C) A mais importante característica do urbano colonial do Vale do Guaporé foi o emprego majoritário de mão-de-obra branca livre, uma vez que os europeus monopolizaram os postos de trabalho.
D) O Capitão-General D. Antônio Rolim de Moura fundou os povoados de São João do Crato e São José de Montenegro no Rio Madeira, almejando reforçar a segurança da navegação fluvial.
E) Luís Albuquerque de Mello Pereira e Cáceres foi o Capitão-General que governou a capitania durante a construção do Real Forte Príncipe da Beira no Guaporé


04. (UnB/CESP) Uma corrente historiográfica defende a tese de que a criação da capitania de Mato Grosso tinha, entre outras, a finalidade de caracterizar a posse portuguesa da região. Desse modo, o que Portugal pretendia com essa decisão era tornar mais consistente e efetivo o princípio que sua diplomacia utilizara na celebração de tratados de limites com a Espanha, o uti possidetis, o qual estabelecia que:
A) Portugal garantia como sua a área que os habitantes da colônia haviam ocupado de fato ou, pelo menos, tornado questionável a posse espanhola.
B) os indígenas da região seriam transferidos para os aldeamentos criados por religiosos no sul da colônia, as conhecidas missões ou reduções jesuíticas.
C) o governo de Lisboa aceitava entregar aos espanhóis o domínio da bacia amazônica em troca da posse da região de Mato Grosso.
D) Mato Grosso seria isolado do restante da colônia, sobretudo de São Paulo, para impedir as incursões de aventureiros sobre os territórios pertencentes à Espanha.

05. (UnB/CESP) Na segunda metade do século XVIII, quando mais tensas eram as relações entre portugueses e espanhóis na América, Portugal decidiu construir o Presídio de Nova Coimbra, ao sul de Mato Grosso, e o Forte do Príncipe da Beira, às margens do Guaporé, com o objetivo de, respectivamente,
A) garantir aos portugueses a navegação no rio Paraguai e manter livre acesso entre Vila Bela e Belém.
B) isolar Mato Grosso das demais capitanias e impedir o acesso fluvial com a parte mais setentrional da colônia.
C) estender as áreas reservadas à mineração e promover a ocupação da franja meridional do território da capitania.
D) dominar a navegação no Prata e adensar a presença de colonos brasileiros em Sacramento e nos Sete Povos das Missões.

06. (NCE/UFRJ) A expansão territorial promovida pelos bandeirantes saídos de São Paulo ultrapassava a linha estabelecida pelo Tratado de Tordesilhas. Com a fundação de Cuiabá, em 1721, e da Vila Boa de Goiás, em 1723, os paulistas estavam ocupando território espanhol. A incorporação desses territórios ao domínio português ocorreu, em 1750, graças ao:
(A) tratado de Madri, que afirmava o princípio do uti possidetis, ita possideatis;
(B) tratado de Badajóz, que estabelecia as compensações devidas à coroa espanhola;
(C) tratado de Methuen, que privilegiava os interesses comerciais portugueses;
(D) tratado de Santo Ildefonso, que recuperava os territórios fronteiriços em litígio;
(E) tratado de Utrecht, que garantia a independência das colônias espanholas.

07. (NCE/UFRJ) “(...) se procura fazer a colônia de Mato Grosso tão forte e poderosa que contenha os vizinhos em respeito e organize a administração.” (Conselho Ultramarino)
A partir do texto acima, pode-se afirmar que a criação da capitania de Mato Grosso, em 1748, está ligada ao interesse português em:
(A) garantir a posse da região que pertencia a Portugal desde a assinatura do Tratado de Tordesilhas (1494), mas que fora relegada a
segundo plano durante os séculos XVI e XVII;
(B) afirmar o poderio da Coroa portuguesa na região após o fracasso do empreendimento do donatário da capitania de Minas Gerais que englobava a região mato-grossense;
(C) consolidar o domínio no território a oeste da linha de Tordesilhas, conquistado e ocupado pelos colonos portugueses, evitando o avanço das missões jesuíticas espanholas sobre essas terras;
(D) combater os sucessivos conflitos entre colonos portugueses e os comerciantes espanhóis que desde meados do século XVII pretendiam explorar as riquezas da floresta;
(E) neutralizar a ação dos comerciantes franceses, pois desde o fim da França Equinocial faziam investidas sobre a região mato-grossense com o objetivo de aí instalar uma nova colônia.

08. (UFMT) As populações dos atuais territórios do Brasil e da Bolívia relacionam-se desde o século XVII, quando ocorreram as primeiras gestões da Coroa Portuguesa para tornar essa região o “antemural de todo o interior da colônia”. Assinale a medida que NÃO faz parte das adotadas pela Coroa Portuguesa.
A) Após 1777, com o tratado de Madri, D. João V ordenou a fundação de uma vila na região do Guaporé que, fundamental para assegurar a posse portuguesa naquele sítio, viria se constituir a capital da província.
B) Da região de Cuiabá, o povoamento se expandiu em direção ao Rio Guaporé e deparou-se com a ocupação espanhola na sua margem oeste referente ao então Vice-Reinado do Peru.
C) Entre as atribuições recebidas por Antonio Rolim de Moura, estava a de estabelecer relações comerciais da futura capital (que ele iria fundar na região) com o extremo norte da colônia.
D) Para poder controlar toda a extensão da imensa capitania, articulou-se a ligação da capital, Vila Bela da Santíssima
Trindade, com as demais vilas, via fluvial ou terrestre, além da fortificação da fronteira.
E) Após fundar Vila Bela da Santíssima Trindade, foi transplantada para lá toda a máquina administrativa e fiscal que, em parte, já existia na Vila de Cuiabá.


09. (UFMT) Em 1748, ao criar a Capitania de Mato Grosso, o rei de Portugal nomeou D. Antônio Rolim de Moura Tavares para administrá-la. Esse nobre português recebeu uma série de Instruções que lhe possibilitaram, inclusive, ao chegar às margens do rio Guaporé, escolher o local onde seria estabelecida a primeira capital mato-grossense: Vila Bela da Santíssima Trindade. Sobre o assunto, julgue os itens.
(0) A longa distância de Vila Bela da Santíssima Trindade dos centros fornecedores e o excessivo número de cachoeiras na rede fluvial elevariam o custo das mercadorias, inviabilizando o comércio monçoeiro.
(1) A Companhia de Comércio do Grão-Pará e Maranhão, interligando Belém à Vila Bela, poderia resolver o problema de abastecimento da capital e contribuir para garantir os interesses de Portugal em relação às terras do extremo Oeste da Colônia.
(2) A proximidade com o domínio espanhol exigiu que a Coroa lusitana adotasse uma política de povoamento intensivo da área fronteiriça por meio da criação de missões jesuíticas, construção de fortes militares e doação de terras para extração de poaia e mate.
(3) O abastecimento de Cuiabá, em meados do século XVIII, continuou sendo feito pelo roteiro fluvial Cuiabá/Tietê, estabelecido desde a descoberta das primeiras jazidas auríferas no rio Coxipó do Ouro, no início deste mesmo século.
10. (UNIR) No governo de Luís Albuquerque de Melo Pereira e Cáceres foi construido às margens do rio Guaporé um forte estratégico para apoio da rota das Monções do Norte, que estabeleciam ligações comerciais e administrativas entre Belém e Vila Bela da Santíssima Trindade. Atualmente existem projetos de restauração desse monumento para torná-lo atração turística. Trata-se do Forte:
a) Coimbra.
b) Iguatemi.
c) Príncipe da Beira.
d) Guajará-Mirim.
11. (EJM) Leia atentamente o texto a seguir.
Os soldados na sociedade cuiabana
" A característica própria aos homens livres pobres de Cuiabá era a alta presença de soldados entre eles. Desde a implementação da Capitania, Cuiabá se tornara uma cidade militar, com várias guarnições e um contingente de soldados elevado, em comparação ao total da população urbana."
(VOLPATO, Luíza Rios Ricci. Cativos do sertão. São Paulo/Cuiabá: Marco Zero/Ed. UFMT, 1993, p. 205.)
A partir do assunto exposto no texto acima e com base em seus conhecimentos, responda.
a) De que classes sociais eram oriundos tais soldados?

b) Que ambicões econômicas muitos homens livres pobres alimentavam ao se tornar soldados?

c) Além de Cuiabá, em que outras regiões mato-grossenses havia guarnicões de soldados no Período colonial?

RESPOSTAS E COMENTÁRIOS
01 - C
Comentários: A Coroa portuguesa com o intuito de povoar o Extremo-Oeste de sua colônia criou uma série de incentivos para atrair colonos, nesse sentido foram reduzidos impostos, doados patentes e cargos. Para asseguram a defesa da extensa faixa fronteiriça foram construídos diversos fortes, presídios e instaladas diversas cidades, principalmente no período do governo do capitão-general Luis de Albuquerque de Melo Pereira e Cáceres, 4º governador da Capitania.
No entanto não houve alforria de todos os negros africanos escravizados, interessados em povoar as terras mato-grossense, uma vez que a mão-de-obra escrava foi largamente utilizada nesta região durante todo o esse período histórico, apesar das dificuldades econômicas que seus habitantes enfrentaram.
02 - B
Comentários
A criação da Capitania de Mato Grosso, em 1748, atendeu, entre outras razões, a um importante objetivo estratégico da metrópole portuguesa, que era o de estabelecer um núcleo do governo colonial em extensa área de fronteira que seria ocupada para se deter eventual avanço espanhol, por essa razão Mato Grosso passou a ser o "antemural" do Brasil, sendo assim seus habitantes assumir a tarefa de defender o território e se possível alargá-lo.
03 - E
Comentários
Luís Albuquerque de Mello Pereira e Cáceres foi o Capitão-General que mais se esforçou no sentido de garantir a posse e defesa do território mato-grossense no período colonial, para isso fundou vilas, construiu fortes e fortaleza ao longo da extensa fronteira com o domínio espanhol.
04 - A
Comentários
A Coroa Portuguesa utilizou o princípio do "uti possidetis" do Direito romano para garantir para si os territórios ocupados na Capitania de Mato Grosso, dessa forma tratou de ocupar o Extremo-Oeste do Brasil formando diversos povoados e fortificações militares na região.
05 - A
Comentários
A construção do Presídio de Nova Coimbra, ao sul de Mato Grosso, e do Forte do Príncipe da Beira, às margens do rio Guaporé, tinham como objetivo garantir aos portugueses a navegação pelo rio Paraguai ao sul e manter livre o acesso entre Vila Bela e Bélem do Pará através da navegação dos rios da Bacia Amazônica.
06 - A
Comentários
Através do Tratado de Madri assinado entre as coroas ibéricas em 1750 ficou assegurada a conquista das terras à Oeste do Tratado de Tordesilhas. O príncipio que norte esse acordo foi o uti possidetis, com grande atuação do jurísta brasileiro Alexandre de Gusmão.
07 - C
Comentários
O Conselho Ultramarino ao determinar a criação da capitania de Mato Grosso em 1748 tinha o interesse português em consolidar o domínio no território a oeste da linha de Tordesilhas, conquistado e ocupado pelos colonos portugueses, evitando o avanço das missões jesuíticas espanholas de Moxos e Chiquitos sobre essas terras.
08 -A
Comentários
O item A está incorreto pois em 1777 foi assinado o Tratado de Santo Ildefonso que retificou o Tratado de Madri na raia sul da colônia portuguesa. A primeira capital de Mato Grosso, fundada às margens do rio Guaporé em 1752 foi uma consequência da assinatura do Tratado de Madri em 1750.
09 - V, V, F, V
O arrendamento de terras para a extração da poaia e da erva-mate somente ocorreu no século XIX.
10. C
Trata-se do Forte Real Principe da Beira que fora construído às margens do rio Guaporé para se um baluarte de garantia da navegação entre Belém e Vila Bela, então capital de Mato Grosso.
11. a) Esses soldados eram oriundos de famílias de poucas posses.
b) Muitos deles encontravam no serviço militar uma forma de manter-se, mesmo recebendo baixos salários.
c) Espalhados em pontos estratégicos da fronteira Oeste, do alto Guaporé ao baixo Paraguai.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário