quinta-feira, 26 de março de 2009

A evolução histórica da Ponte Júlio Müller






A principal via de comunicação entre as cidades Cuiabá e Várzea Grande, a ponte Júlio Müller, conhecida popularmente como "ponte velha", completou 67 anos.



Ela foi a primeira construída com cimento armado a cruzar o rio Cuiabá, substituindo a antiga barca pêndulo que fazia travessia do rio com cargas, animais, veículos e passageiros. A referida edificação foi inaugurada em 20 de janeiro de 1942 sob a égide do Estado Novo, pelo então interventor Júlio Strubing Müller que garantiu a permanencência da sede administrativa do estado em Cuiabá.



Segundo o historiador Ubaldo Monteiro "a ponte trouxe uma mudança radical ao sistema de comunicação e transporte das duas cidades e facilitou a entrada dos habitantes do norte do Estado à capital e vice e versa". Depois de três anos da inauguração do acesso em concreto, Várzea Grande ganhou energia elétrica e passou a contabilizar um forte e contínuo desenvolvimento. Como afirma Ubaldo, “Várzea Grande foi a mais beneficiada”.



Passados 43 anos, já sentindo os reflexos da forte migração iniciada em meados dos anos 70, a Júlio Müller – ainda mão dupla – tem o fluxo de veículos desafogado. Através da tela de Odenil Sebba, acima à direita, podemos ter uma dimensão do processo de urbanização e adensamento populacional pelo qual passava a capital mato-grossense, sobretudo na segunda metade da década de 1980. A duplicação criou o sentido Várzea Grande/Cuiabá. Para os várzea-grandenses a obra teve peso maior por ter sido construída e inaugurada durante a gestão de um governador várzea-grandense, o engenheiro Júlio Campos. Foi realizada sob a égide do progrosso e da modernização do Estado, tão apregoados pelo governo Júlio Campos, cujo slogan era "4 anos de governo, 40 anos de progresso". A obra iniciada em 1985 foi inaugurada em 15 de março do ano seguinte. A sexagenária ponte Júlio Muller, permanece sendo o principal acesso entre as duas cidades e um dos mais importantes cartões postais de Cuiabá e Várzea Grande.






Créditos: foto de Robson Silva (Ponte Júlio Müller atualmente)

Quadro de Odenil Sebba (duplicação da Júlio Müller)

3 comentários:

  1. interessante e necessário o teu trabalho, amigo. parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Você sabe porque a ponte não foi construída com alinhamento da 15 de novembro?

    ResponderExcluir