domingo, 3 de maio de 2009

Características de Mato Grosso

Características de Mato Grosso


Mato Grosso, talvez seja o Estado brasileiro que melhor represente os modernos e os antigos processos de formação cultural: o antigo - pela sua situação geográfica estratégica: os portugueses para cá vieram e estabeleceram pontos avançados de segurança contra a invasão espanhola nas divisas, onde, hoje, existem a Bolívia e o Paraguai e a busca de índios para trabalhos escravos com a conseqüente descoberta de gigantescas minas de ouro, o que marca o início do processo de miscigenação e formação da identidade - índio/branco/negro. O moderno, a partir do início do Século XX, pelo avanço rumo ao Oeste em busca de novas fronteiras agrícolas, que trouxe gente de todos os estados brasileiros provocando outra e definitiva formação cultural, transformando Mato Grosso em um Estado cheio de positivos contrastes e acentuada diversificação sócio-cultural.

Gentílico: mato-grossense

Localização - Região Centro-Oeste

- Estados limítrofes Amazonas, Pará, (N); Tocantins, Goiás (L); Mato Grosso do Sul(S); Rondônia e Bolívia (O),
- Mesorregiões 5
- Microrregiões: 22
- Municípios: 141
Capital Cuiabá
Governo 2007 a 2011 - Governador: Blairo Maggi - Vice-governador: Silval da Cunha Barbosa

- Deputados. federais 8

- Deputados estaduais 24

- Senadores 03

Área Total 903.357,908 km² (3º)

População 2007 - 2.854.4561 hab. (19º)
- Densidade 2,6 hab./km² (25º)

Economia 2005 - PIB R$37,466 bilhões (15º) - PIB per capita R$13.365 (6º) Indicadores 2000: - IDH 0,776 (9º) – médio
- Esperança de vida 72,6 anos (11º)
- Fuso horário UTC-4
Clima:Equatorial e tropical
- Sigla BR-MT





Sítios governamentais www.mt.gov.br – http://www.cultura.mt.gov.br/

Mato Grosso é uma das 27 unidades federativas do Brasil. Está localizado a oeste da região Centro-Oeste e a maior parte de seu território é ocupado pela Amazônia Legal, sendo o extremo sul do estado pertencente ao Centro-Sul do Brasil. Tem como limites: Amazonas, Pará (N); Tocantins, Goiás (L); Mato Grosso do Sul (S); Rondônia e Bolívia (O). Ocupa uma área de 903.357 km², pouco menor que a Venezuela. Sua capital é a cidade de Cuiabá. Algumas das cidades mais importantes são Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis, Sinop, Primavera do Leste, Cáceres, Sorriso, Lucas do Rio Verde, Barra do Garças e Tangará da Serra. Extensas planícies e amplos planaltos dominam a área, a maior parte (74%) se encontra abaixo dos 600 metros de altitude. Juruena, Teles Pires, Xingu, Araguaia, Paraguai, Piqueri, São Lourenço, das Mortes e Cuiabá são os rios principais. Lingüisticamente, o nome Mato Grosso, dentro de frases, é acompanhado por artigo indefinido, como acontece com os estados de Minas Gerais, de Goiás e de Mato Grosso do Sul

Mato Grosso é uma das 27 unidades federativas do Brasil. Está localizado a oeste da região Centro-Oeste e a maior parte de seu território é ocupado pela Amazônia Legal, sendo o extremo sul do estado pertencente ao Centro-Sul do Brasil. Tem como limites: Amazonas, Pará (N); Tocantins, Goiás (L); Mato Grosso do Sul (S); Rondônia e Bolívia (O). Ocupa uma área de 903.357 km², pouco menor que a Venezuela. Sua capital é a cidade de Cuiabá. Algumas das cidades mais importantes são Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis, Sinop, Primavera do Leste, Cáceres, Sorriso, Lucas do Rio Verde, Barra do Garças e Tangará da Serra. Extensas planícies e amplos planaltos dominam a área, a maior parte (74%) se encontra abaixo dos 600 metros de altitude. Juruena, Teles Pires, Xingu, Araguaia, Paraguai, Piqueri, São Lourenço, das Mortes e Cuiabá são os rios principais. Veja a lista de rios de Mato Grosso. Lingüisticamente, o nome Mato Grosso, dentro de frases, é acompanhado por artigo indefinido, como acontece com os estados de Minas Gerais, de Goiás e de Mato Grosso do Sul

• Pelo Tratado de Tordesilhas (de 7 de junho de 1494) o território do atual estado de Mato Grosso pertencia à Espanha. Os jesuítas, a serviço dos espanhóis, criaram os primeiros núcleos, de onde foram expulsos pelos bandeirantes paulistas em 1680. Em 1718, a descoberta do ouro acelerou o povoamento. Em 1748, para garantir a nova fronteira, Portugal criou a capitania de Mato Grosso e construiu um eficiente sistema de defesa.

Mineração em Mato Grosso durante o século XVIII.

• Durante as bandeiras, uma expedição chegou ao Rio Coxipó em busca dos índios Coxiponés e logo descobriram ouro nas margens do rio, alterando assim o objetivo da expedição. Em 1719 foi fundado o Arraial da Forquilha, as margens do rio Coxipo formando o primeiro grupo de população organizado na região (atual cidade de Cuiabá). A região de Mato Grosso era subordinada a Rodrigo César de Menezes, para intensificar a fiscalização da exploração do ouro e a renda ida para Portugal, o governador da Capitania muda-se para o Arraial e logo a eleva a nível de Vila chamando de Vila Real do Bom Jesus de Cuyabá. Com os tratados de Madri (1750) e Santo Ildefonso (1777), Espanha e Portugal estabeleceram as novas fronteiras. A produção de ouro começou a cair no início do século XIX.





• Com a chegada dos seringueiros, pecuaristas e exploradores de erva-mate na primeira metade do século XIX, o Estado retomou o desenvolvimento.

Exploração do látex executada por um seringueiro.



• Em 1977, uma parte do Estado foi desmembrada e transformada em Mato Grosso do Sul.

• Geografia • Área 903.386,1 km²

• Relevo planalto e chapadas no centro, planície com pântanos a oeste e depressões e planaltos residuais a norte.
• Rios principais Juruena, Teles Pires, Xingu, Araguaia, Paraguai, Piqueri, Cuiabá, São Lourenço das Mortes.

• Vegetação: cerrado, floresta Amazônica e pantanal.

• Clima tropical • Municípios mais populosos Cuiabá (483.346), Várzea Grande (215.298), Rondonópolis (150.227), Cáceres (85.857), Sinop (74.831), Tangará da Serra (58.840), Barra do Garças (52.092), Alta Floresta (46.982), Pontes e Lacerda (43.012), Primavera do Leste (39.857) (2000).
• Hora local -1h em relação a Brasília. Gentílico: mato-grossense

• Relevo • Relevo mato-grossense, de altitudes modestas, apresenta grandes superfícies aplainadas, talhadas em rochas sedimentares. Esse relevo é composto de três unidades distintas:
• * O Planalto Mato-Grossense, que serve de divisor de águas entre os rios que correm para o Paraguai e os rios da bacia do rio Amazonas. É formado por uma série de planaltos cristalinos e chapadões sedimentares, com altitudes que variam, em média, de 400 a 800m;
• * O planalto arenítico-basáltico, localizado no sul do estado, simples parcela do Planalto Meridional.
• * Uma pequena parte do Pantanal Mato-Grossense, baixada da porção centro-ocidental.
• Ao sul do Planalto Brasileiro, situa-se o divisor de águas entre as bacias dos rios Paraguai e Amazonas. A maior parte é drenada pelo rios da bacia do rio Amazonas.
• As serras mais importantes são as seguintes:
• * Serra dos Parecis * Serra Formosa * Serra do Norte * Serra dos Caiabis * Serra dos Apiacás, no norte * Serra do Roncador, no leste
• A nordeste do Planalto Mato-Grossense, localizam-se duas grandes depressões, separadas pela Serra do Roncador:

• * Depressão do Alto Xingu

• * Depressão do Médio Araguaia

• Essas duas áreas constituem amplas planícies inundáveis alagadas periodicamente pelas enchentes dos rios. Mato Grosso conta ainda com uma porção do Pantanal Mato-Grossense extensa planície alagadiça, com altitudes que vão de 100 a 300m.

• Clima • O tipo de clima predominante em Mato Grosso é o tropical superúmido de monção, típico da Amazônia; segundo a classificação de Köppen, o clima tropical do norte de Mato Grosso é do tipo Ameno. As temperaturas são elevadas, com a média anual ultrapassando os 26ºC. O índice de chuvas também é alto, atingindo dois mil milímetros anuais.

• Também prevalece o clima tropical, propriamente dito, com chuvas de verão e inverno seco, caracterizado por médias de 23°C no Planalto Central. A quantidade de chuvas também é alta nesse clima: ultrapassa a média anual de 1.500 mm, já que a estação seca, bastante marcada no sul do estado, vai gradativamente se reduzindo em direção ao norte.

• Vegetação • A maior parte da superfície estadual é coberta pela floresta equatorial, com árvores muito altas e copadas, como a andiroba, o angelim, o pau-roxo e a seringueira. É um verdadeiro prolongamento da Floresta Amazônica em Mato Grosso. Ao sul de Cuiabá, domina o cerrado, vegetação formada por árvores de até 10m de altura, espalhadas entre numerosos e variados arbustos.

• No Pantanal, há diversos tipos de vegetação, que variam de acordo com o terreno. Predomina, porém, a cobertura de gramínea, excelente pastagem para o gado. Entre as vertentes dos rios:rio Xingu e Rio Tapajós, no norte do Estado, a vegetação também não é uniforme, passando da mata seca e da floresta, mais densa às margens dos rios, ao campo, verdadeiro tapete de ervas, praticamente desprovidos de arbustos. A zona de florestas compreende 47% da área do estado, os cerrados 39% e os campos 14%.

Pantanal mato-grossense.



• Hidrografia • A rede fluvial de Mato Grosso pertence a dois sistemas hidrográficos: a a bacia do rio Amazonas e a do rio Paraguai. Os principais rios da bacia do rio Amazonas são o Araguaia e seu afluente o rio das Mortes, o Xingu, o Juruena, o Teles Pires e o Roosevelt.
• O rio Paraguai nasce ao norte de Cuiabá, na chamada Amazônia mato-grossense. Seu principal rio afluente em território mato-grossense é o Cuiabá, no sul do Estado. • São as seguintes unidades de conservação, a nível federal, localizadas em Mato Grosso:

Limpeza do rio Paraguai.



• * Parque Nacional do Pantanal Mato-grossense * Parque Nacional da Chapada dos Guimarães
• * Estação Ecológica de Taiamã * Estação Ecológica da Serra das Araras
• * Área de Proteção Ambiental Meandros do Araguaia * Parque Nacional do Juruena
• * Parque Nacional dos Campos Amazônicos
• A população de Mato Grosso é de 2.803.274 habitantes, segundo a estimativa populacional de 2005, com dados recentemente coletados pelo IBGE. Mato Grosso é o décimo-nono Estado mais populoso do Brasil e concentra 1,47% da população brasileira. Do total da população do Estado em 2000, 1.217.166 habitantes são mulheres e 1.287.187 habitantes são homens.
• Mato Grosso tem uma população de 2.803.274 hab. segundo IBGE de 2005, com uma densidade demográfica de 2,6 hab/km². Pelas características encontradas no Estado o predomínio é de pessoas adultas e com um índice de declínio para jovens e aumento de idosos. Pela média do Estado há um predomínio de homens devido a emigração dos outros Estados para Mato Grosso, contudo, na grande Cuiabá há predomínio de mulheres, semelhante à média brasileira. Mato Grosso ocupa o IDH 9º entre os Estados do Brasil.
• Etnias • Cor/Raça Porcentagem • Pardos 55,2% • Brancos 36,7% • Pretos 7,0% • Amarelos ou Indígenas 1,1%

Economia Durante o período colonial do Brasil, a capitania de São Paulo (atualmente Mato Grosso) todo o comércio era o monopólio da capitania para a Metrópole, Portugal. Os principais sistemas produtivos eram a mineração, cana-de-açúcar, erva-mate, poaia, borracha e pecuária. A mineração foi o principal motivo do sustento dos habitantes na região durante as expedições Bandeirantes no século XVIII. A mão-de-obra era de escravos negros e índios e a fiscalização muito rígida ordenada pela coroa em Portugal. A pirâmide social baseava-se somente em mineradores e escravos. A pecuária e a agricultura foram os principais sistemas produtivos e comerciais de Mato Grosso do século XX e século XXI. Devido o crescimento econômico propiciado pelas exportações, Mato Grosso tornou-se um dos principais produtores e exportadores de soja e algodão do Brasil. Detém o maior rebanho bovino brasileiro, com mais de 27 milhões de cabeças e é um dos maiores estados em relação à exploração de minérios. Vila Bela da Santíssima Trindade Primeira Capital de Mato Grosso Dom Antônio Rolim de Moura, em 19 de março de 1752, fundou a primeira capital de Mato Grosso, antes denominada Pouso Alegre. Antes desse período, ainda estava em vigor o Tratado de Tordesilhas, e toda conquista empreendida pelos bandeirantes poderia passar a pertencer, legalmente, à Espanha. Assim, tornava-se urgente a fixação de um novo Tratado que o substituísse: o Tratado de Madri, firmado entre Portugal e Espanha, no ano de 1750, o qual veio demarcar novas fronteiras. Diante desse cenário, tratou Portugal de garantir o povoamento daquela região, especialmente na parte relativa à zona do rio Guaporé. Assim em 1748, foi criada uma nova capitania, a de Mato Grosso, desmembrada da capitania paulista. Dom Antônio Rolim de Moura, de posse da Carta Régia, enviada de Lisboa, para fundar a sede administrativa da nova província de Mato Grosso, veio ao Brasil para desempenhar tal incumbência . E Vila Bela, no extremo oeste do Estado, foi escolhida para ser a capital.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário