quinta-feira, 9 de abril de 2009

ATIVIDADES DE HISTÓRIA DE MATO GROSSO - A RESISTÊNCIA INDÍGENA

A RESISTÊNCIA INDÍGENA


01. (UFMS) Na primeira metade do século XVI, quando Espanha e Portugal iniciaram o processo de conquista e colonização da bacia platina, alguns europeus chegaram até a região do Pantanal, em geral em busca de metais preciosos. Alguns desses conquistadores produziram relatos importantes para o estudo da história regional, entre os quais é correto apontar o(s) seguinte(s):
(001) Los Incas, de Francisco Pizarro.
(002) Naufragios y Comentarios, de Alvar Núñez Cabeza de Vaca.
(004) O mito do El Dorado dos índios guaranis, de Aleixo Garcia.
(008) La Conquista del México, de Hernán Cortez.
(016) Relatos de la conquista del río de la Plata y Paraguay (1534-1554), de Ulrico Schmidel.


02. (UFMS) A história de Mato Grosso do Sul (antigo sul de Mato Grosso) não pode ser apreendida na sua riqueza temática e, sobretudo, na sua diversidade étnica e cultural, se a ela não incorporarmos a história dos povos indígenas. Sobre a presença constante dos povos indígenas na história do Mato Grosso do Sul, é correto afirmar que:
(01) a presença indígena no território do atual Mato Grosso do Sul data de até trinta mil anos; para o Pantanal essa presença é de até vinte mil anos.
(02) mesmo depois da chegada de elementos europeus na região, foram intensas as relações dos povos indígenas entre si. Às vezes conflituosas, às vezes complementares, são conhecidas, dentre outras, as relações entre os grupos Guaná, Guaicuru e Guarani.
(04) nas disputas entre portugueses e espanhóis pela fixação dos limites territoriais de suas colônias americanas, foram visíveis as preocupações de ambos em atrair para si o apoio dos povos indígenas que ocupavam a região.
(08) apesar da brutalidade do processo de conquista e da conseqüente ocupação de seus territórios, a existência atual de vários povos indígenas em Mato Grosso do Sul indica que suas diferentes formas de resistência garantiram pelo menos a sua sobrevivência.
(16) com mais de cinqüenta mil índios, Mato Grosso do Sul é atualmente o segundo estado do Brasil em população indígena.


03. (UFMT) Em Mato Grosso, a relação entre índios e colonizadores foi geralmente conflituosa e marcada pela violência. A respeito, julgue os as afirmativas;

(00) Os índios Paiaguá foram os primeiros a atacar as monções e o faziam quando as embarcações estavam transitando pelos rios.

(01) Governos da Capitania de Mato Grosso utilizaram índios, capturados na defesa da fronteira, na construção de fortes, fortalezas e em outras atividades militares.

(02) Algumas nações indígenas, como Guaicuru e Caiapó, habitavam a periferia da capitania e estabeleceram relações de escambo com o colonizador português.

(03) Por meio das Cartas Régias, a Coroa Portuguesa permetia, em casos específicos, a "guerra justa" aos índios.


04. (EJM) A figura e o texto que se seguem dizem respeito à uma nação indígena que habitava a Capitania de Mato Grosso e que empreendia ataques às monções paulistas que se dirigiam para Cuiabá durante o período colonial.
Tela de Jean Baptiste Debret (1834).
"(...) foram conhecidos como cavaleiros, uma vez que se utilizavam, com destreza e agilidade, da arte hípica. Montados a pêlo, debruçavam-se no dorso do cavalo parecendo, a quem observava de longe, tratar-se de uma correria de animais, sem cavaleiro. No momento em que atingiam o ponto a ser atacado, montavam rapidamente nos cavalos, já armados de lanças e, urrando, desfechavam o ataque."
(SIQUEIRA, Elizabeth Madureira. História de Mato Grosso: da ancestralidade aos dias atuais. Cuiabá:Entrelinhas, 2002, p. 61)
A figura e o texto se referem aos:
a) Paiaguá;
b) Guaicuru;
c) Bororo;
d) Caiapó;
e) Bakairi.
05. (EJM) Leia o fragmento abaixo:
" (...) eram conhecidos como exímios canoeiros, pois sulcavam as correntezas como agilidade e destreza, tendo ficado famosos pelos ataques que empreendiam as monções. A tática utilizada tinha por base o fator surpresa: como exímios nadadores, viravam as canoas de cabeça para baixo e mantinham-se escondidos sob elas. No momento em que se aproximavam do alvo a ser atingido, desviravam as embarcações e com rapidez, nelas subiam já armados de arcos, lanchas e flechas. Emitindo sonoros urros, lançavam-se sobre o inimigo, surpreendentemente."
(SIQUEIRA, Elizabeth Madureira. História de Mato Grosso: da ancestralidade aos dias atuais. Cuiabá: Entrelinhas, 2002, p. 61)
O fragmento está se referindo aos:
a) Paiaguá;
b) Cinta-Larga;
c) Iranxe;
d) Caiapó
e) Guaná.
06. (UNEMAT) TERCEIRO DIA
"Nuvens me cruzam de arribação.
Tenho uma dor de concha extraviada.
Uma dor de pedaços que não voltam.
Eu sou muitas pessoas destroçadas.
Diviso ao longe um ombro de barranco.
E encolhidos na areia uns jaburus.
Chego mais perto e estremeço de espírito.
Enxergo a Aldeia dos Guanás.
Imbico numa lata enferrujada.
Um sabiá me aleluia."
(Livro das Ignoranças, p. 61)
Nesse poema de Manoel de Barros, o autor enxerga uma aldeia Guaná, possivelmente perto de Corumbá, Cuiabá ou qualquer outra cidade mato-grossense fundada no período colonial, visto que o indígena era presença constante em nossa história. Sobre isso julgue os itens abaixo.
(01) Das nações indígenas que mais auxiliaram no processo de colonização de Mato Grosso pode-se destacar: Paiaguá, Guaicuru e Caiapó.
(02) A presença indígena era fundamental para a colonização de Mato Grosso, praticamente a mão-de-obra escrava dos garimpos era predominantemente indígena.
(03) A presença indígena na sociedade mato-grossense sempre foi constante, muitas cidades coloniais viviam próximas a aldeamentos indígenas, que costumavam ser fornecedores de alimentos.
(04) Em muitas ocasiões a Coroa Portuguesa viu no índio um personagem essencial para a colonização. Um exemplo clássico desta visão foi a fundação de Vila Maria (hoje Cáceres), através da imigração de índios Chiquitos.
07. (UFMS) Sobre a conquista e colonização luso-castelhana da bacia do Alto Paraguai, é correto afirmar que:
(01) Entre as décadas de 1520 e 1540, os primeiros europeus que atingiram a região ali encontraram vários povos indígenas, muitos dos quais formados por grupos classificados, linguisticamente, como Aruaque, Guaicuru e Guarani.
(02) As primeiras expedições que partiram de Assunção rumo à região hoje em dia conhecida como Pantanal, como a expedição comandada pelo adelantado Alvar Nuñes Cabeza de Vaca, na década de 1540, também foram motivadas pela procura das minas de prata do Peru.
(04) No século XVII, nenhum dos povos indígenas estabelecidos no Pantanal chegou a participar de qualquer missão ou redução dos padres da Companhia de Jesus, haja visto que a região estava muito distante das províncias jesuítica do Guairá e do Itatim.
(08) Até fins do século XVII, os bandeirantes de São Paulo não ultrapassavam os limítes geográficos da Bacia do Paraná, cujos afluentes eram dominados pelo povo Paiaguá, os temido índios canoeiros; portanto, não atingiram a baixada paraguaia antes do século XVIII, quando os castelhanos de Assunção descobriram ouro na região dos rios Coxipó e Cuiabá.
(16) Assim como os europeus fizeram em outras regiões da América do Sul, no Alto Paraguai eles também se valeram das antigas rivalidades existentes entre os povos indígenas para assegurarem a conquista e a colonização daquela porção central da América do Sul.
08. (UFMS) Sobre a ocupação humana do território correspondente, nos dias de hoje, aos Estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, é correto afirmar que:
a) ela se deu após a chegada dos bandeirantes paulistas, logo no início do século XVIII, com a fundação de povoado que hoje em dia correspondem às cidades de Corumbá e Miranda.
b) ela se deu com a chegada dos espanhóis que procuravam o caminho que os levasse às minas de prata do império Inca.
c) ela somente foi possível após o aniquilamento do "selvagem gentio" Cayapó.
d) ela somente foi possível após a chegada dos jesuítas ao Brasil, religiosos que para protegerem os índios das perseguições dos bandeirantes estabeleceram várias missões nesses territórios.
e) mesmo antes da chegada dos europeus, toda essa região já era habitada por diversos povos indígenas, entre eles os Bororo, Cayapó, Guaná-Chané, Kaiowá e muitos outros.
RESPOSTAS E COMENTÁRIOS.
01) F, V, F, F, V (SOMA:18)
02) V, V, V, V, F (SOMA:15)
03) V, V, F, V
04) B
05) A
06) F, F, V, V
07) V, V, F, F, V (SOMA:19)
08) E

3 comentários:

  1. Maravilhoso trabalho para auxiliar o nosso estudo sobre a História de Mato Grosso.

    ResponderExcluir
  2. É verdade, parabéns pelo seu blog!!!

    Abraços!!!

    ResponderExcluir
  3. Muito obrigado, Morgani. Grande abraço.

    ResponderExcluir